Pessoas que acompanham nosso site

A Necessidade do Batismo com o Espírito Santo - Comentários Adicionais (Pr. Osmar)

A NECESSIDADE DO BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO
(Lição 12 – 17 de Dezembro de 2017)

TEXTO ÁUREO
E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder” (Lucas 24.49).

VERDADE APLICADA
O batismo com o Espírito Santo é a promessa do Senhor de revestimento de poder para cumprimento da missão.

OBJETIVOS DA LIÇÃO
EXPLICAR acerca da necessidade e da importância de se receber o Espírito Santo;
APRESENTAR o Espírito Santo como fonte de vida, consolador e agente santificador da Igreja;
APONTAR três qualidades importantes que foram acrescentadas pelo Espírito Santo à Igreja.

TEXTOS DE REFERÊNCIA
Atos 1.4 – E, estando com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que, disse ele, de mim ouvistes.
Atos 1.5 – Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias.
Atos 1.8 – Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria, e até aos confins da terra.
Atos 2.1 – E, cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar.

INTRODUÇÃO
Ser batizado com o Espírito Santo é uma necessidade imperiosa na vida de todo aquele que deseja ser usado por Deus no Seu serviço. Sem a unção e poder do Espirito Santo teremos enormes dificuldades para testemunhar e revolucionar o mundo com o evangelho (At 1.8). Os discípulos e os cristãos primitivos jamais teriam sido instrumentos tão poderosos nas mãos de Deus para alcançar e abalar o mundo de sua época, se não houvessem recebido o batismo com o Espírito Santo (2.1-4). O batismo com o Espírito Santo não só nos introduz em uma nova dimensão espiritual como também nos capacita a cumprir integralmente nossa missão aqui na terra. Muitos, hoje, infelizmente não estão recebendo essa gloriosa, imensurável e rica bênção de Deus porque não buscam, não conhecem ou não compreendem o que ela representa para suas vidas.

1. CONHECENDO O SIGNIFICADO E PROPÓSITO
O batismo com o Espírito Santo, conforme o cumprimento integral e total da promessa de Deus, significa revestimento de poder (Lc 24.49) e tem como propósito principal nos capacitar a realizar com êxito o serviço cristão (At 1.8), e, nos credenciar a uma vida de poder, adoração e devoção diante de Deus e dos homens (Jo 7.38-39). O evangelista e teólogo Stanley Jones (1884 – 1973) é incisivo quando disse: “A vida do cristão começa no calvário, mas o trabalho eficiente, no Pentecoste”. Depois da salvação esta é a maior bênção que Deus concede aos seus filhos!

1.1. Significado do Batismo com o Espírito Santo
Há muitos que acreditam que já receberam o batismo com o Espírito no momento de sua conversão. No entanto, a Bíblia deixa claro que o batismo com o Espírito Santo não é uma experiência que se recebe automaticamente junto com a conversão. As Santas Escrituras fazem clara distinção entre a presença do Espírito Santo como habitação e como manifestação. Todo salvo, em Cristo, por exemplo, tem em si a habitação do Espírito Santo (Jo 14.16-17; 1 Jo 4.12-13; Rm 8.9-11). Mas, nem todos são ou foram revestidos com o poder do Espírito Santo (At 19.1-6). Ao aceitarmos Jesus como salvador e Senhor recebemos automaticamente o Espírito Santo como selo de Deus em nossa vida (Ef 1.13-14; 2 Co 1.21-22), que além de testificar com o nosso espírito que somos filhos de Deus (Rm 8.16), também, nos guia em toda a verdade (Jo 16.13; Gl 5.18). O apóstolo Paulo vai mais além quando escreve aos Romanos dizendo que se alguém não tem o Espírito de Deus ou de Cristo esse tal não é Dele (Rm 8.9). No entanto, nem todos os que têm o Espírito Santo significa dizer que estão cheios d'Ele (Ef 5.18; At 19.1-6). O batismo com o Espírito Santo significa um transbordamento ou derramamento de poder (Pv 1.23; Jl 2.28-29; At 2.33; 10.45), ou ainda, um revestimento de poder concedido por Jesus aos salvos no intuito de torná-los servos e testemunhas mais eficazes (Lc 24.49; At 1.5,8).

1.2. A diversidade das operações do Espírito
Vivemos hoje a imensurável e rica Dispensação da Graça, também conhecida como a “Dispensação do Espírito Santo”, por causa de suas multiformes funções e manifestações. Dentre as diversas ações e operações do Espirito Santo, nesta dispensação, podemos destacar Sua ação de convencer o homem do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16.8-11), manifestar virtude e unção indispensável aos crentes para testemunhar de Cristo e do seu evangelho (At 1.8), distribuir e administrar dons espirituais colocados por Deus à disposição de sua Igreja (1 Co 12.1-11), etc. São estas multiformes ações, operações e manifestações do Espírito que mantém a Igreja de Cristo viva, dinâmica e atuante na terra. Entretanto, nos últimos anos a ausência de ensino sobre o batismo com o Espírito Santo e a introdução de conceitos errôneos, distorcidos e alheios à autenticidade bíblica, pelos nossos próprios líderes e dirigentes, sob o pretexto de que havia muito “exagero”, “fanatismo”, “meninices” ou “coisas do tipo”, têm provocado receio, medo e desinteresse entre os crentes mais novos, privando-os de experimentarem as “manifestações” e “operações” do Espírito Santo, causando com isto, enormes prejuízos espirituais não só aos nossos adolescentes, jovens e novos convertidos, como também frieza espiritual nos mais antigos (1 Co 14.39). Não é à toa que a igreja dos dias atuais vive sua pior crise espiritual e de identidade!

1.3. Propósito do batismo com o Espírito Santo
Diferente do batismo nas águas, que é para o arrependimento (Mt 3.11), o batismo com o Espírito Santo é uma promessa de Deus segundo os seus soberanos propósitos para nossa vida. Isto significa que devemos compreendê-las sob a perspectiva do cumprimento desses propósitos e não para atender “prestígios pessoais” ou ser “mais espirituais” que outras pessoas. Assim, como Deus prometeu e enviou Jesus para ser o nosso salvador, também prometeu enviar e derramar do Seu Santo Espírito sobre os crentes, habilitando-nos a dar continuidade com mais eficácia, a obra do Senhor Jesus Cristo aqui na terra. Portanto, o soberano propósito de Deus no batismo com o Espírito Santo, vai mais além do que simplesmente nos capacitar a viver de forma santa e digna, visa também nos preparar para o serviço cristão (Lc 24.47-49; At 1.8; 8.1-40) e testemunhar de Jesus com poder e ousadia (At 4.7-31). Os discípulos de Cristo, antes do Pentecoste, eram tímidos e temerosos (Jo 18.15-18; 20.19-20), porém, após receberem o poder do Espírito Santo, passaram a pregar ousadamente a Palavra de Deus e realizar sinais, milagres e maravilhas (At 4.33; 3.4-10). Antes do pentecoste a Igreja estava em declínio (apenas 120 irmãos perseveraram em oração), depois do pentecoste, na primeira pregação, quase 3 mil almas se converteram (At 2.41), e, na segunda quase 5 mil (At 4.4). O sucesso ministerial deles, depois do Pentecoste, pode ser resumido assim: “Testificando Deus juntamente com eles, por sinais e prodígios, e por múltiplos milagres e dons do Espírito Santo, distribuídos segundo a sua vontade” (Hb 2.4).

2. ATUALIDADE DA PROMESSA E RECEBIMENTO
Embora o Batismo com o Espírito Santo seja um manancial de bênção para a nossa vida e uma chama pentecostal imprescindível às atividades, crescimento e desenvolvimento da Igreja. Muitos hoje, não recebem mais o batismo com o Espírito Santo. O que será que está acontecendo? Será o batismo com o Espírito Santo é coisa do passado? Não! Muito pelo contrário! Muitos, hoje, não recebem o batismo com o Espírito Santo porque não buscam mais, outros porque não compreendem devidamente o que ele representa para suas vidas, e outros, não pasme! É porque nem sabe o que é batismo com o Espírito Santo! Lamentavelmente, esse genuíno movimento vem sendo substituído por inovações, modismos e práticas descabidas e antibíblicas, e, por isso, é atualmente pouco buscado e pouco pregado. A estratégia de Satanás nestes últimos tempos não é mais afastar as pessoas das igrejas, mas mantê-las nos templos espiritualmente frias, com corações distantes e acostumados com uma vida de pecado e sem frutos. Precisamos deixar a frieza espiritual, a carnalidade e o secularismo, voltar ao primeiro amor, e buscar urgentemente um avivamento espiritual.

2.1. Atualidade da promessa
Cremos na atualidade do batismo no Espírito Santo e dos dons espirituais, conforme prometeu o próprio Cristo e ensinam as Escrituras Sagradas (Lc 24.49; 1 Co 12.1-11; 14.1). Ao contrário do que alguns pregam, o batismo com o Espírito Santo não se limitou ao Dia de Pentecoste. Não encontramos nada nas Escrituras que prove que o falar em línguas seja uma experiência restrita àquele tempo. Ao contrário, a Bíblia diz que o derramar do Espírito Santo é universal e alcançável não só em nossos dias (At Jl 2.28-29), como será também no futuro, no milênio, quando ele continuará a ser amplamente derramado (Zc 12.10; Ez 39.29). O apóstolo Pedro foi claro e incisivo ao dizer que todos os crentes podem e devem buscar esta plenitude do Espírito, quando disse: “Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quanto Deus nosso Senhor chamar” (At 2.39). Além do mais, a Bíblia e a própria história da Igreja mostra que, do Pentecoste em Jerusalém até os dias de hoje, houve continuidade dessa tão inefável promessa (At 8.14-17; 10.44-48; 9.1-18; 19.1-7). Centenas, milhares e milhões de pentecostais, espalhados pelo mundo afora, têm experimentado o batismo com o Espírito Santo. O escritor aos Hebreus disse: “Não vos façais negligentes, mas sejais imitadores dos que pela fé e paciência herdaram a promessa” (Hb 6.12).

2.2. Importância do batismo com o Espírito Santo
A importância do batismo com o Espírito Santo se evidencia a partir da promessa feita pelo próprio Deus (Pv 1.23; Jl 2.28-29; Is 44.3) e ratificada pelo próprio Senhor Jesus Cristo (Jo 7.37-39; At 1.5; Lc 24.49), como um evento que marcaria os últimos dias (At 2.17-18). A expressão “últimos dias”, conforme preceitua a Bíblia, abrange o tempo desde a primeira vinda de Cristo ao mundo até o fim dos tempos (Hb 1.2). A promessa de salvação é a maior dádiva de Deus para o mundo (Mt Gn 3.15; Mt 1.21;Jo 19.16-30), assim, como o Espírito Santo é a maior dádiva de Deus para a Igreja (Jl 2.28-29; Is 44.3; Lc 24.49; At 1.4-5; 2.1-4). Muitos desperdícios de energia e muitos trabalhos infrutíferos seriam evitados se a igreja estivesse empenhada em buscar a presença, direção e o batismo com o Espírito Santo.

2.3. Como receber o batismo com o Espírito Santo
Deus em sua infinita sabedoria não deixou nenhuma regra ou fórmula definida de como receber o batismo com o Espírito Santo. Em alguns textos as Escrituras diz que os crentes estavam reunidos quando “de repente” foram cheios do Espírito Santo (At 2.1-4; 10.44) Em outros, diz que foi necessário alguém “orar” e “impor as mãos” (At 8.15-18; 9.17-18). Cremos que a experiência do batismo com o Espírito Santo pode ocorrer de várias formas e situações, dependendo apenas da vontade do Senhor e do Espírito Santo que são os agentes batizadores. No entanto, se faz necessário da parte do crente: arrepender (Pv 1.23; At 2.37-38); crer (Jo 7.37-39); desejar ardentemente (Jo 7.37; Sl 143.6; Is 41.17-18; 44.3; Ap 21.6); Pedir, buscar e bater insistentemente (Lc 11.9-13; Mt 7.7; Tg 1.6). Quando buscamos com fé o batismo com o Espírito Santo, Deus atende os desejos dos justos (Jr 29.13: At 1.14; Lc 18.1).

3. OUTRAS CONSIDERAÇÕES SOBRE A PROMESSA
Há várias outras considerações sobre a promessa e o batismo com o Espírito Santo, que ainda poderiam ser exploradas, tais como: A essência, natureza e cumprimento da promessa do batismo com o Espírito Santo; evidência, capacitações e realidades operadas pelo batismo com o Espírito Santo; distorções, equívocos e ofensas em relação ao batismo com o Espírito Santo; relações entre o fruto, dom e batismo com o Espírito Santo; o viver cheio do Espírito é condição indispensável a todo crente que deseja crescer, prosperar e viver de forma frutífera (At 8.5,35); como manter nossa vida cheia do Espírito Santo; o símbolo do fogo significa que o Espírito Santo seria nos corações semelhantes ao fogo, para purificar ou destruir os sentimentos incompatíveis com sua natureza santa (Mt 3.11-12); o recebimento do batismo com o Espírito Santo não está vinculado a mérito, pois é dom de Deus (At 10.45); etc. No entanto, vamos nos ater apenas ao que foi proposto na lição.

3.1. O falar em línguas
O Espírito Santo manifestou-se de diferentes formas no Antigo Testamento. Todavia, não há nenhum indício de que alguém tenha “falado em línguas”. A manifestação do falar em línguas, seja como sinal do batismo, seja como o dom espiritual, é uma operação divina encontrada somente a partir do Novo Testamento: O falar em línguas como sinal do batismo com o Espírito Santo teve seu início no dia de pentecoste e atua como sinal ou evidência a todos que são batizados: “E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem” (At 2.4 - veja também 10.46 e 19.6). Segundo o Pastor Antônio Gilberto, essa manifestação é uma imersão do crente no espiritual e sobrenatural de Deus. Já o falar em línguas, como dom de variedade de línguas, segundo ele “é um milagre linguístico sobrenatural” e nem todos os crentes batizados com o Espírito Santo tem este dom, pois são distribuídos segundo a vontade e o propósito de Deus (1 Co 12.30). Não depende do querer do homem, mas da soberania divina (1 Co 12.11). Cabendo a cada um buscar com zelo os melhores dons (1 Co 12.31).

3.2. Cheios do Espírito Santo
Durante o período do Antigo Testamento o Espírito Santo era concedido por medida e de forma restritiva (Dt 34.9; Ex 28.3; 31.3; 35.31), conforme declara o próprio Jesus (Jo 3.34). O viver cheios do Espírito no Novo Testamento é condição indispensável a todo crente que deseja crescer e viver de forma frutífera e vitoriosa (At 8.5,35). Atualmente, temos duas classes de pessoas na igreja: uma, que apesar das dificuldades, ainda mantêm suas características pentecostais e procuram viver a plenitude do Espírito Santo. São os pentecostais de fato; e, outra, formada por aqueles que, de propósito ou por negligência, estão mantendo o Espírito Santo fora dos seus projetos de vida. Embora façam parte de uma igreja pentecostal e dizem ser pentecostais, parecem desconhecer por completo a origem e os propósitos do batismo com o Espírito Santo.

3.3. Outros esclarecimentos
É bem verdade que muitas dúvidas sobre o batismo com o Espírito Santo existem os quais precisariam serem esclarecidos: Quando se sabe que um cristão foi ou não batizado com o espírito Santo? O que sente uma pessoa no momento em que é batizada com o Espírito Santo? É bíblico criar “subterfúgios” ou “estratégias” para que as pessoas venham receber o batismo? O batismo com o Espírito Santo deve ser requisito para alguém ingressar no ministério? O batismo com o Espírito Santo é um pré-requisito para se receber os dons espirituais? Por que no momento de ser batizado surge dúvidas se devemos ou não falar em línguas? Como eliminar essas dúvidas? Por que atualmente quase não mais se ver pessoas sendo batizadas com o Espírito Santo? O que devo fazer para ser batizado com o Espírito Santo? ... No entanto, este pequeno espaço não permite esclarecer todas estas e outras dúvidas. No entanto, para fechar o comentário desse último subtópico, gostaria apenas de refletir a última pergunta acima citado: O que devo fazer para ser batizado com o Espírito Santo? Inicialmente, é importante compreender que o recebimento do batismo com o Espírito Santo não está vinculado a mérito, pois é dom de Deus (At 10.45). Como já falamos, não há um método nem formula precisa para se alcançar o batismo com o Espírito Santo. Na prática, tem alcançado esta bênção aqueles que têm demonstrado ardente desejo e buscam constantemente. Não importa qual seja a sua denominação, se está frio na fé, ou se está passando por alguma dificuldade na sua vida espiritual! Pela fé podemos e devemos buscar o batismo com o Espírito Santo! Jesus disse: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crê em mim como diz as Escrituras rios de águas viva correrão do seu ventre. E isso, disse Ele do Espírito Santo, que haviam de receber...” (Jo 7.37-39). Disse ainda Ele: “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei e abrir–ser-vos-á ... Pois se vós sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai Celestial o Espírito Santo àqueles que Lho pedirem?” (Lc 11.9-13).

CONCLUSÃO
A igreja do Senhor necessita de um real e poderoso mover do Espírito Santo nos dias de hoje. Buscar a concretização dessa promessa nos dias atuais é uma necessidade àqueles que, embora salvos, ainda não alcançaram. Se estivermos dispostos a pagar o preço e dermos liberdade ao Espírito Santo, Ele certamente irá operar em nossas vidas da mesma maneira que operou no passado, ratificando de maneira extraordinária as promessas divinas e levando-nos a vivenciar um grande despertamento espiritual. A Bíblia diz: “Convertei-vos pela minha repreensão; eis que abundantemente derramarei sobre vós o meu Espírito Santo e vos farei saber as minhas palavras” (Pv 1.23).

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
REVISTA BETEL DOMINICAL: Jovens e Adultos. Doutrinas Fundamentais da Igreja de Cristo. Rio de Janeiro: Editora Betel – 4º Trimestre de 2017. Ano 27 n° 105. Lição 05 – A necessidade do batismo com o Espírito Santo.

BÍBLIA DE ESTUDO MATTHEW HENRY. Português. Tradução Elen Canto, Eliane Mariano e outros. Editora Central Gospel Ltda. 1ª Edição. Rio de Janeiro – RJ. 2014.

BÍBLIA DE ESTUDO NVI - Português. Tradução de Nota: Chown, Gordon. Editora Vida.

REVISTA JOVENS E ADULTOS: Atos dos Apóstolos. Editora Betel – 1º Trimestre de 2011. Ano 21 n° 78. Rio de Janeiro.

LIÇÕES BÍBLICAS – Jovens e Adultos. CPAD (Casa Publicadora das Assembleias de Deus) – 3º Trimestre de 1988.

LIÇÕES BÍBLICAS – Jovens e Adultos. CPAD (Casa Publicadora das Assembleias de Deus) – 4º Trimestre de 1989.

LIÇÕES BÍBLICAS – Jovens e Adultos. CPAD (Casa Publicadora das Assembleias de Deus) – 1º Trimestre de 1998

LIÇÕES BÍBLICAS – Jovens e Adultos. CPAD (Casa Publicadora das Assembleias de Deus) – 1º Trimestre de 2004.

LIÇÕES BÍBLICAS – Jovens e Adultos. CPAD (Casa Publicadora das Assembleias de Deus) – 3º Trimestre de 2006.

LIÇÕES BÍBLICAS – Jovens e Adultos. CPAD (Casa Publicadora das Assembleias de Deus) – 4º Trimestre de 2007.

COMENTÁRIOS ADICIONAIS:
P r. Osmar Emídio de Sousa - Bacharel em Direito pela faculdade PROJEÇÃO; Bacharel em Missiologia pela antiga Escola Superior de Missões de Brasília; bacharel em Teologia Pastoral, pela FATAD (Faculdade de Teologia das Assembleias de Deus de Brasília); Pastor credenciado na CONAMAD e membro na AD316, Subsede da ADTAG.


2 comentários:

Anônimo disse...

E os comentários da lição 11???

Ebd 316 disse...

Desculpe! Elas serão postadas de hoje para amanhã.

Pr. Osmar Emídio de Sousa