Pessoas que acompanham nosso site

28 de maio de 2016

Semana Acadêmica 2016

SOB O TEMA: "O PAPEL DA IGREJA NO MUNDO PÓS MODERNO" A ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL DA AD316 REALIZA NOS DIAS 13 A 17 DE JUNHO DE 2016, A SUA 5ª SEMANA ACADÊMICA. 

VENHA PARTICIPAR CONOSCO!!!!

24 de maio de 2016

Revista Betel - 3º Trimestre de 2016

REVISTA BETEL DO PRÓXIMO TRIMESTRE
                           
A REVISTA BETEL do próximo trimestre (3º Trim de 2016) é a de Nº 100 e o tema será: "MATEUS" (Uma visão panorâmica do Evangelho do Rei). Será uma edição comemorativa e terá o mesmo formato e nome (Betel Dominical) da edição nº 01. Como na primeira edição esta será também comentada pelo Bispo MANOEL FERREIRA. 

A benignidade é a disposição em fazer o bem a todos - Comentários Adicionais

A BENIGNIDADE É A DISPOSIÇÃO EM FAZER O BEM A TODOS
(Lição 09 – 29 de Maio de 2016)

TEXTO ÁUREO
E, partindo ao outro dia, tirou dois dinheiros, e deu-os ao hospedeiro, e disse-lhe: Cuida dele, e tudo o que de mais gastares eu to pagarei quando voltar.” (Lc 10.35).

VERDADE APLICADA
A benignidade nos capacita a fazer o bem sempre com candura e compaixão.

OBJETIVOS DA LIÇÃO
ENSINAR que a benignidade é o bem em ação;
MOSTRAR como deve agir o servo de Deus;
REVELAR como a Igreja deve se portar com benignidade.

TEXTOS DE REFERÊNCIA
Lc 10.30 - E, respondendo Jesus, disse: Descia um homem de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos dos salteadores, os quais o despojaram e, espancando-o, se retiraram, deixando-o meio morto.
Lc 10.31 - E, ocasionalmente, descia pelo mesmo caminho certo sacerdote; e, vendo-o, passou de largo.
Lc 10.32 - E, de igual modo, também um levita, chegando àquele lugar e vendo-o, passou de largo.
Lc 10.33 - Mas um samaritano que ia de viagem chegou ao pé dele e, vendo-o, moveu-se de íntima compaixão.

INTRODUÇÃO
A benignidade é a capacidade que alguém, após a transformação do Espírito Santo, tem em se preocupar com o bem estar de seu próximo. É traduzindo pelo prazer em ajudar o seu semelhante independente de quem seja. O benigno não cansa de fazer o bem. O benigno segue o mandamento cristão conforme está escrito “Porque o fruto do Espírito está em toda bondade, e justiça, e verdade, aprovando o que é agradável ao Senhor” (Ef 5.9,10).

1. BENIGNIDADE: O AMOR SEM MEDIDA
O autor da lição informa que o contrário de benignidade é a malignidade. Quem é maligno tem um sentimento interno ruim, ou seja, tem o desejo de fazer mal as outras pessoas, é uma pessoa de natureza maldosa. A pessoa benigna se predispõe a fazer o bem aos outros, não julga precipitadamente, não pensa mal dos outros, busca sempre ajudar a todos sem pensar em receber algo em troca. É importante salientar que a benignidade e a malignidade (bem ou mal) são interiores, estão ligadas ao sentimento, enquanto que a bondade e a maldade (bom ou mau) são qualidades exteriores, falam de ação. Finalizando quem é benigno pratica a bondade e quem é maligno pratica a maldade.

1.1. A benignidade livra da condenação
Quando a benignidade que, é uma característica do fruto do Espirito Santo, passa a se desenvolver no coração do Cristão, este torna-se uma benção para o seu próximo, porque passa a praticar a bondade e a generosidade levando-o a se preocupar com as pessoas de maneira prática e dinâmica. A parábola do bom samaritano esclarece que o cuidado e a compaixão são intrínsecas a fé salvadora e obediência a Cristo, porque se o cristão diz amar a Deus, deve também amar ao seu próximo. A vida e a graça que Cristo transmite aos que o aceitam produzem amor, misericórdia e compaixão pelos necessitados e aflitos. Esse amor é um dom da graça de Deus através de Cristo. O crente tem a responsabilidade de viver à altura do amor do Espírito Santo ten do, dentro dele, um coração não endurecido. Quem afirma ser cristão, mas tem o coração insensível diante do sofrimento e da necessidade dos outros, demonstra cabalmente que não tem em si a vida eterna (vv. 25-28; 31-37; cf. Mt 25.41-46; 1 Jo 3.16-20). Em Tiago 4,17 afirma: Que aquele que sabe fazer o bem e não o faz comete pecado. Essa pessoa torna-se a pior testemunha contra a si mesmo porque peca contra a sua própria consciência. Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz, e aquele que sabe que não deve fazer o mal e o faz será condenado.

1.2. Vivendo contrário ao mundo
O modo de vida ideal apresentado pelo mundo é totalmente contrário a palavra de Deus, e quem segue por ele afasta-se do seu criador. Em Romanos 12.2 nos é mostrado que as coisas desse mundo e as pessoas que vivem de acordo com ele estão voltadas para o que é mal e que nós cristãos devemos nos transformar através da renovação do Espirito de Deus, progredindo cada dia através da santificação morrendo para o pecado, passando a viver para a justiça cada vez mais. O cristão benigno se interessa pelos problemas dos outros, não se preocupa somente consigo mesmo e procura tratar os outros como Deus o trata e olha o seu semelhante como Deus o olha. O cristão bondoso segue o que Jesus mandou: “Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós, porque esta é a lei e os profetas” (Mt 7.12). Em outras palavras, devemos tratar os outros da mesma maneira que Deus nos trata — com misericórdia e graça.

1.3. Agindo de forma benigna
O Cristão benigno não é egoísta em buscar a salvação somente para si, como ama ao seu próximo também deseja que todos a sua volta sejam salvos, por isso sempre que tem oportunidade prega o evangelho da salvação de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Deus é Benigno e Compassivo (2 Rs 13.23; Sl 86.15; 111.4). Ser compassivo significa sentir tristeza pelo sofrimento doutra pessoa, com desejo de ajudar. Deus, por sua compaixão pela humanidade, proveu-lhe perdão e salvação (cf. Sl 78.38). Semelhantemente, Jesus, o Filho de Deus, demonstrou compaixão pelas multidões ao pregar o evangelho aos pobres, proclamar libertação aos cativos, dar vista aos cegos e pôr em liberdade os oprimidos (Lc 4.18; cf. Mt 9.36; 14.14; 15.32; 20.34; Mc 1.41; ver Mc 6.34). O mandamento de nosso Senhor foi: “Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito santo; ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado” Mateus 28.19-20. Essa é a missão do Cristão benigno, não importa se todos ouvirão e entenderão a mensagem da salvação o seu dever é a anunciar a palavra, por isso Jesus disse: “quem crer será salvo e quem não crer será condenado” Marcos 16.16. O que realmente importa é que todos ouçam o evangelho conforme Jesus declarou: “Mas importa que o evangelho seja primeiramente pregado entre todas as nações” Marcos 13.10.

2. AGINDO COMO SERVO DE DEUS
Quem, ó Deus, é semelhante a ti, que perdoas a iniquidade e que te esqueces da rebelião do restante da tua herança? O SENHOR não retém a sua ira para sempre, porque tem prazer na benignidade. Tornará a apiedar-se de nós, sujeitará as nossas iniquidades e lançará todos os nossos pecados nas profundezas do mar” Miqueias 7:18 e 19. A benignidade tem muito haver com misericórdia ou compaixão (Efésios 4.32). Esta virtude é uma dimensão do fruto do Espírito que não pode faltar ao cristão (Pv 3.3,4). Quando o cristão tem o fruto amadurecido ele é benigno para com o seu semelhante, a sua benignidade é o comportamento de Deus, que é benigno (Lucas 6.35). Ele é benigno porque Sua misericórdia para conosco não depende de nossa fidelidade ou de nossa gratidão (Tito 3.3,4).

2.1. A fidelidade de Deus o torna benigno
Deus é bom e a sua benignidade dura para sempre. Deus é bom para com a sua criação e a sustenta mesmo quando a humanidade volta as suas costas para ele, porque é fiel a sua promessa. Mesmo quando o povo de Israel pecava e se esqueciam do seu libertador, Deus era longânimo em castigá-los e sempre providenciava vários profetas para levar mensagens de arrependimento para o seu povo. Depois de muitos avisos Ele derramava sua ira sobre o povo e quando eles pediam perdão, Deus estendia a suas mãos para perdoá-los. Deus cuida até dos ímpios e principalmente dos que invocam o seu nome em verdade (Mt 5.45; At 14.17). Deus é compassivo por isso tem compaixão pela humanidade provendo perdão e salvação para todos os que se arrependem de seus pecados e buscam o seu nome com fidelidade e verdade. Por isso os filhos de Deus devem imitar a Deus sendo benigno e compassivo para com o seu próximo, desejando e fazendo o bem a todos até mesmo aos nossos inimigos. Em Lucas 6:35 Jesus disse: “Amai, porém, os seus inimigos, façam-lhes o bem e emprestem a eles, sem esperar receber nada de volta. Então, a recompensa que terão será grande e vocês serão filhos do Altíssimo, porque ele é bondoso para com os ingratos e maus”.

2.2. Deus sempre quer o melhor para nós
Deus em sua Onisciência conhece todos os pensamentos do coração do homem, antes mesmo que o ser humano venha a pecar ele já sabe, mas mesmo assim continua agindo com paciência com a sua criatura. Deus em sua longanimidade tolera com paciência as iniquidades do ser humano esperando que ele se arrependa (Êx 34:6 e Sl 103:8). Os homens em sua caminhada cometem vários tipos de pecados, falham constantemente e praticam varias atitudes errada, mas mesmo assim Deus se mostra longânimo diante dos erros humanos aplicando a sua paciência e misericórdia e exercendo a sua paciência por que quer o melhor para nós. A paciência ou longanimidade de Deus são exercidas com objetivo de manifestar a Sua misericórdia e salvação para com os homens (1Tm 1:16;1Pd 3:20 e 2Pd 3:15). Pelo fato de Deus querer o melhor para nós, devemos como cristãos amadurecidos no fruto do Espirito desejar também o melhor para os nossos irmãos, não pensando ou julgando mal quem quer que seja, sempre sendo benigno e longânimo e exercendo a paciência em Cristo Jesus para com o nosso semelhante.

2.3. Um plano de redenção através da benignidade
O Deus todo poderoso pela sua benignidade e sua infinita graça, mesmo o homem tendo se perdido por conta própria, criou um plano de salvação para a humanidade e para isso entregou seu Filho Unigênito a morte de cruz para que todos os que cressem e que se arrependesse fossem salvos. Pela sua benignidade a salvação é recebida através da graça e isso é um dom de Deus. Conforme está escrito em Efésios 2.8-9 “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus; não vem das obras,para que ninguém se glorie”. Através de sua benignidade o homem tem esperança de salvação, que é pela graça. Deus nunca abandonou o homem porque é clemente e misericordioso e por isso o busca salvar. Nos textos sagrado estão cheios de passagens que demonstram o quanto Deus é benigno para com o homem (Sl 36:5; 86:6; 94:18; Tt3:4) e essa benignidade é demonstrada através de nosso Salvador Jesus Cristo quem exemplificou essas qualidades. Jesus em sua passagem pela terra sempre foi muito amável para com o homem principalmente para com os mais fracos, assim nós cristãos devemos ser seu imitador agindo conforme Ele agia, pois uma característica do fruto do Espirito é ser longânimo e benigno para com o nosso próximo, absorvendo as qualidades transmitidas por ele através de seu Espirito Santo.

3. Lições práticas
Deus chamou os cristãos para que fossem diferente do mundo e os membros da igreja que são participantes do corpo de Cristo precisam ter um comportamento diferente das pessoas que não conhecem a luz. Em Efésios 4:1 o apostolo Paulo diz: “Rogo-vos, pois,eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da vocação, a que fostes chamados”. Ele quer dizer que os cristãos nascidos de novo através do fruto do Espírito precisam de algumas características diferente do mundo, como tendo longanimidade e a benignidade para com o próximo, andando de modo digno da vocação para qual fomos chamados

3.1. Igreja, distribuidora do fruto.
O apóstolo Paulo declara que devemos andar de modo digno da vocação para a qual Deus nos chamou, devendo nos esforçar para preservar a unidade do Espírito (v.4). A igreja unida irá demonstrar as características do fruto do Espirito através de suas ações para com a sociedade, sendo longânimos e benignos além de outras virtudes cristãs, tendo um sentimento de boa vontade até para os que nos perseguem, abençoando a todos com as nossas orações, palavras e ações. Todos os cristãos que se unirem a Cristo e as Suas verdades e caminhos, certamente terão no porvir a recompensa por tudo o que fizerem neste mundo. Todos nós devemos buscar o amadurecimento do fruto do Espirito para que possamos conquistar um estado espiritual ordenado em Cristo e com isso possamos contribuir para o bem de todos e da igreja. Com isso poderemos pregar as maravilhas do evangelho e executar com êxito as nossas funções ministeriais.

3.2. Uma boa arvore dá bons frutos
Muitas vezes a igreja local onde os irmãos congregam tem a sua unidade perturbada, e às vezes chegam a serem destruídas por membros que negligenciam as recomendações bíblicas. Esses membros não desenvolveram as boas práticas cristãs de estudarem a Palavra e de orar, por isso não promoveram o amadurecimento do fruto do Espirito em seu interior, tornando-se presas fáceis do inimigo de nossas almas. Quantas vezes a unidade da congregação é abalada por membros que julgam mal, condenam sem antes saberem o que realmente ocorreu, promovem dissensões e divisões. Os irmãos para produzirem bons frutos precisam estar cheios de unção do Espirito Santo tendo dentro de si o fruto amadurecido, com isso saberão amar a todos até mesmo daqueles que falam mal de nós, que desejam a nossa derrota e nunca encontra algo bom em nós.

3.3. A manifestação do caráter de Deus
O fruto do Espirito é uma obra espontânea do Espirito Santo em nosso interior, que ocorre com o crescimento gradual da vida e natureza do Senhor Jesus Cristo dentro de nós. Quando o fruto do Espirito está amadurecido dentro do Cristão o caráter de Cristo pode ser contemplado nele em qualquer lugar em que esteja, seja na rua, no lar, no trabalho, nos relacionamento familiar e com o seu próximo. Em 1 Pedro 1:15,16, o Apostolo Pedro conclama a todos que sejamos santo porque aquele que nos chamou é Santo e todos devemos imitar a ele. Quem anda em Espírito não cumpre os desejos da carne, pelo contrário, o seu principal desejo é viver como Jesus, agindo como Ele, e refletindo o seu caráter. Todos os cristãos devem ter a glória do Senhor o que significa experimentar a sua presença, o seu amor, a sua justiça e o seu poder através da oração e do Espírito Santo, quando permanecer n'Ele e na sua Palavra. Isto resulta em sermos transformados à sua semelhança (4.6; cf. Cl 1.15; Hb 1.3). Na presente era, essa transformação é progressiva e parcial. Porém quando Cristo voltar, a nossa transformação será completa (1 Jo 3.2; Ap 22.4).

CONCLUSÃO
Irmãos a benignidade é um dom que vem de Deus e todos nós precisamos desenvolver esse fruto do Espirito seguindo o exemplo de Jesus Cristo ajudado pelo Espírito Santo. Precisamos colocar diariamente a benignidade em prática, transformando-a em ação para com todos os nosso semelhantes, tratando e amando cordialmente com amor fraternal nossos amigos e inimigos, imitando a benignidade de Deus. Agindo assim, estaremos refletindo o caráter de Cristo Jesus através da manifestação do fruto do Espírito dando sinais reais e prático de amadurecimento. A salvação é pela fé, mas os cristãos benignos praticam as boas obras, porque é um sinal do amadurecimento dos frutos do Espirito. Conforme pede o apóstolo Paulo nós devemos imitar e benignidade de Deus.

FONTES BIBLIOGRÁFICAS:
REVISTA DO PROFESSOR: Jovens e Adultos. Fidelidade. Rio de Janeiro: Editora Betel – 2º Trimestre de 2016. Ano 26 n° 98.Lição 8 – Frutos do Espírito.

Bíblia de Estudo Matthew Henry, Revista e Corrigida, Traduzida em Português por João Ferreira de Almeida. Edição 2014.

http://www.avivamento no su l21.comunidades.net/licoes antigas-pad-o – fruto do espirito-santo- 2015.

http://www.estudantes da Biblia.com.br/licões cpad /2007/2007-03-13.htm.

http://ebdadtaqnorte.blogspot.com.br/2012/08/licão 6 Benignidade Bondade - para-http://gilvanmfarias.blogspot.com.br/2012/02/as nove caracteristicas do fruto do Espírito.html.

COMENTÁRIO ADICIONAIS

Diácono Carlos Cezar de Paula, Servo do Deus altíssimo. 

23 de maio de 2016

Revista Betel 3º Trimestre de 2016

REVISTA BETEL DO PRÓXIMO TRIMESTRE
                           
A REVISTA BETEL do próximo trimestre (3º Trim de 2016) é a de Nº 100 e o tema será: "MATEUS" (Uma visão panorâmica do Evangelho do Rei). Será uma edição comemorativa e terá o mesmo formato e nome (Betel Dominical) da edição nº 01. Como na primeira edição esta será também comentada pelo Bispo MANOEL FERREIRA. 

Lição 09 - A benignidade é a disposição em fazer o bem a todos

A BENIGNIDADE É A DISPOSIÇÃO EM FAZER O BEM A TODOS
(Lição 09 – 29 de Maio de 2016)

TEXTO ÁUREO
“E, partindo ao outro dia, tirou dois dinheiros, e deu-os ao hospedeiro, e disse-lhe: Cuida dele, e tudo o que de mais gastares eu to pagarei quando voltar.” (Lc 10.35).

VERDADE APLICADA
A benignidade nos capacita a fazer o bem sempre com candura e compaixão.

OBJETIVOS DA LIÇÃO
ENSINAR que a benignidade é o bem em ação;
MOSTRAR como deve agir o servo de Deus;
REVELAR como a Igreja deve se portar com benignidade.

TEXTOS DE REFERÊNCIA
Lc 10.30 - E, respondendo Jesus, disse: Descia um homem de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos dos salteadores, os quais o despojaram e, espancando-o, se retiraram, deixando-o meio morto.
Lc 10.31 - E, ocasionalmente, descia pelo mesmo caminho certo sacerdote; e, vendo-o, passou de largo.
Lc 10.32 - E, de igual modo, também um levita, chegando àquele lugar e vendo-o, passou de largo.
Lc 10.33 - Mas um samaritano que ia de viagem chegou ao pé dele e, vendo-o, moveu-se de íntima compaixão.

20 de maio de 2016

Palavra Pastoral

 PONTO DE VISTA III


Pr. Almerindo Luna Gois

IGREJA POLITIZADA

Em exposição feita sobre a igreja religiosa no ponto de vista II, o pensamento central ali apresentado, foi que na dispensação da graça, tempo chamado era da igreja, o relacionamento entre DEUS o pai e seus filhos, ocorre de um interagir do ESPIRITO SANTO com o crente em um misterioso processo particular, espiritual invisível e eficaz, isso implica em crer e afirmar que, JESUS enviou o seu espírito para morar com a igreja habitando em cada crente e assim consolidar a doutrina da unidade entre filhos e pai. (evangelho de João capítulos 15,16 e 17). Todo o conjunto doutrinário neotestamentário nos conduz para a verdade de que JESUS CRISTO transferiu ao ESPIRITO SANTO o ministério de consolador, santificador e instrutor junto à sua igreja. È dele, portanto a responsabilidade de inspirar pregadores, orientar pastores em sua administração eclesiástica, dotar e separar obreiros para o trabalho do evangelho, proporcionar aos crentes através da distribuição de seus recursos, todas condições para que sejam a verdadeira igreja de CRISTO. Mediante estas verdades, nelas crendo e com o dever de defendê-las. Manifesto o meu repúdio á pratica indubitavelmente política que se desenvolveu ao longo dos anos na administração das igrejas dispensando assim esse serviço do ESPIRITO SANTO, à medida que as autoridades eclesiásticas ao promoverem homens ao ministério, não o fazem com a preocupação de saber se este é realmente um escolhido e separado por DEUS para tal fim. O normal em nossos dias é usar estas promoções como meio de abrigar parentes, agradar amigos, retribuir aos que exercem influências na membresia por serem ricos, famosos, políticos, ou porque sejam de alguma forma conveniente à liderança, como se o ministério santo fosse moeda de troca de favores. O inevitável resultado disso, são púlpitos abarrotados de homens que se dizem obreiros da casa de DEUS, revestidos de autoridade dada apenas por homens, porem carnais, sem nenhuma eficácia ou utilidade, homens que por suas vaidades e por serem desautorizados de DEUS, se transformam embora as vezes inconscientemente, em verdadeiros inimigos da obra à medida que, além de não produzirem nada de útil, dedicam suas habilidades ao desserviço à igreja, produzindo falatórios que em vez de ajudar, atrapalham os que querem produzir, em contraste com bancos vazios , uma congregação enganada e inútil, onde reinará sem dúvida uma insuportável rotina ilusória, um verdadeiro faz de conta, aliados à infrutuosidade, ostracismo, cegueira espiritual, hipocrisia e a fofoca entre seus membros. As diversas formas litúrgicas dos nossos dias na igreja politizada, não se preocupam em terem o mínimo de espiritualidade bíblica e nem se estão agradando ou não ao dono do culto que é o SENHOR, mas antes nelas o que vemos são encenações, exibições de talentos naturais, em uma desesperada busca de autoafirmação, riquezas, sucesso e reconhecimento humano ou no mínimo apresentações sem nenhum propósito ou compromisso com DEUS. Concluo meu ponto de vista afirmando que, devemos ser orientados pela palavra e inspirados pelo ESPÍRITO SANTO nas operações do reino, ou estaremos reprovados pelo SENHOR. Quando o espírito político entra na igreja e substitui o ESPIRITO SANTO, substitui também as coisas sagradas e divinas pelas coisas profanas e meramente terrenas, e assim deixaríamos de ser a igreja de JESUS CRISTO. Que DEUS o SENHOR tenha misericórdia de nós. Contudo, há aqueles que não se contaminaram.

Pastor Almerindo Luna Góis
Dirigente da Subsede AD316

26 de outubro de 2015

Lições para acervo da Biblioteca

A Biblioteca da nossa EBD está passando por uma reforma e pretendemos reinaugurar no final do ano. Em nossos levantamentos identificamos que está faltando 4 (Quatro) Edições de Revistas da EDITORA BETEL. Caso você tenha algumas destas edições abaixo e queira ajudar fazendo a DOAÇÃO à nossa BIBLIOTECA, envie-nos para: QN 316, Conjunto 4, Lotes 3/4, Área Especial, Samambaia Sul/DF; ou, entre em contato conosco pelo WatsApp 8354-8309, ou ainda, pelos telefones: 8636-8990 (Oi) e 8354-8309 (Tim). Segue abaixo as lições Jovens e Adultos que faltam em nosso acervo:

Betel Dominical Nº 01
1991
4º Trimestre
Betel Dominical Nº 06
1993
2º Trimestre
Betel Dominical Nº 19
1996
2º Trimestre
Betel Dominical Nº 22
1997
1º Trimestre
 

15 de outubro de 2015

Homenagem da EBD ao dia do PROFESSOR

No dia 15 de outubro comemoramos o Dia dos Professores! A Escola Bíblica Dominical da AD316 de Samambaia Sul/DF, AGRADECE e PARABENIZA todos esses MESTRES e EDUCADORES CRISTÃOS, pela dedicação e esmero, na FORMAÇÃO de Crianças, Jovens e Adultos para o Reino de Deus.  A EBD316 tem imensa satisfação em cooperar junto com vocês na construção de uma EDUCAÇÃO CRISTÃ SÓLIDA e pautada em valores e princípios bíblicos. Obrigado a todos vocês Professores! Que Deus abençoe os vossos MINISTÉRIOS!!

12 de junho de 2015

Escola Bíblica de Férias 2015

ESCOLA BÍBLICA DE FÉRIAS 2015

DATA: 30,31 de Julho e 1º de Agosto de 2015
 Sexta e Quinta 14 ás 17 horas - Sábado de 8h30 às 16h
LOCAL:  AD316 -  Samambaia Sul/DF

6 de junho de 2015

Semana Acadêmica 2015

A Escola Dominical da Assembleia de Deus da 316 de Samambaia Sul realizou nos últimos dias 1º a 5 de junho de 2015, mais uma Semana Acadêmica, sobre o tema: "O Despenseiro dos Mistérios de Deus", com base em 1º Corintios 4.1-5. Nossa igreja foi impactada com estudos maravilhosíssimos não deixando a desejar em nada em relação a grandes eventos e conferências realizadas pelo Brasil a fora. Nós experimentamos o que poderíamos chamar de "Avivamento da Palavra". Fomos "alimentados" e "orientados" com a genuína Palavra de Deus, às quais foram expostas de forma simples, mas com uma profundidade fora do normal. Esta Semana marcará com certeza um novo ciclo na vida de nossa igreja e de cada acadêmico que dela participou. Só temos que agradecer a Deus e pedir que Ele abençoe a cada um destes cinco homens de Deus, que se mostraram verdadeiros despenseiros dos mistérios de Deus. Também agradecer a cada participante que nos prestigiou com sua presença! Já estamos agendando e trabalhando para que a do próximo ano, se Deus assim permitir, seja daqui para melhor!     






Veja mais imagens na página "Fotos da Semana Acadêmica"